A alface ou o alface

A forma correta de escrita da palavra é a alface, porque a palavra alface é um substantivo feminino. Dizer o alface está errado. Devemos utilizar a palavra alface sempre que quisermos referir uma erva muito usada para fazer salada, normalmente com folhas de cor verde-clara, grandes e lisas.

Exemplos:
  • Vou jogar esta alface fora porque já está muito murcha.
  • A alface pode ser comida à vontade por quem quer emagrecer.
  • Na feira, o preço da alface está muito caro.
A dúvida acerca do gênero da palavra alface surge visto a palavra terminar na vogal e, não havendo vogal que marque o feminino (a) ou o masculino (o). Existem, no português, muitas palavras terminadas em – e que apresentam a mesma forma no masculino e no feminino, como o cliente/a cliente, o agente/a agente, o estudante/a estudante,… Contudo, esta regra não se aplica à palavra alface, nem a muitas outras palavras da língua portuguesa, que têm um gênero definido: a mascote, o doce, a face, o lance,…

A errada utilização da palavra alface no masculino também sofre influência da designação do conjunto das suas folhas como o pé de alface.

Exemplos:
  • Esta alface está muito bonita.
  • Este pé de alface está muito bonito.
Fique sabendo mais!
A palavra alface tem sua origem na palavra em árabe al-hassa.

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português
Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Agilizar ou agilisar

A forma correta de escrita da palavra é agilizar. A palavra agilisar está errada. Devemos utilizar o verbo agilizar sempre que quisermos referir o ato de tornar mais ágil, mais rápido, mais expedito, mais dinâmico, mais desembaraçado, mais ativo, mais eficiente. É sinônimo de agilitar. 

Exemplos: 

Vamos agilizar este processo porque está demorando muito. 
Estes exercícios são bons para agilizar o raciocínio. 
A nova estrada vai agilizar o trânsito entre estas duas cidades. 

A palavra agilizar é formada a partir de derivação sufixal, ou seja, é acrescentado um sufixo a uma palavra já existente, alterando o sentido da mesma. Neste caso, temos o adjetivo ágil mais o sufixo verbal – izar. O sufixo verbal causativo –izar forma um verbo a partir de um substantivo ou de um adjetivo. 

As palavras agilização e agilizado, cognatas de agilizar, deverão também ser escrita com z. Todas as formas conjugadas deste verbo deverão igualmente ser escritas com z. 

Exemplos: 

Verbo agilizar – Presente do Indicativo: 
(Eu) agilizo 
(Tu) agilizas 
(Ele) agiliza 
(Nós) agilizamos 
(Vós) agilizais 
(Eles) agilizam 

Verbo agilizar – Futuro do Presente do Indicativo: 
(Eu) agilizarei 
(Tu) agilizarás 
(Ele) agilizará 
(Nós) agilizaremos 
(Vós) agilizareis 
(Eles) agilizarão

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português

Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Agente ou a gente

As duas opções estão corretas e existem na língua portuguesa. Porém, seus significados são diferentes e devem ser usadas em situações diferentes. A palavra agente é um substantivo comum e se refere à pessoa que faz algo. A gente é uma locução pronominal equivalente ao pronome pessoal reto nós.

A gente é uma locução pronominal formada pelo artigo definido feminino a e pelo substantivo gente, que se refere a um conjunto de pessoas, à população, humanidade, povo. A expressão a gente é semanticamente equivalente ao pronome pessoal reto nós e gramaticalmente equivalente ao pronome pessoal reto ela, devendo assim o verbo ser conjugado na terceira pessoa do singular. Exprime um sujeito indeterminado, ou seja, as pessoas que falam (nós) ou as pessoas em geral (todos). Esta expressão deverá ser utilizada apenas numa linguagem informal.

Exemplos:

A gente vai à praia depois do almoço.
Ontem, a gente falou com ele, mas ele continuava triste com a situação.
Toda a gente sabe que um dia tem vinte e quatro horas.

Agente tem sua origem na palavra em latim agens e se refere ao sujeito da ação, ou seja, à pessoa que atua, opera, faz. É um adjetivo e um substantivo de dois gêneros porque apresenta sempre a mesma forma, quer no gênero feminino, quer no gênero masculino (o agente/a agente).

Exemplos:

Aquele agente da polícia conseguiu prender o ladrão.
O agente da passiva equivale ao sujeito da voz ativa.
A agente secreta está em missão num país estrangeiro.

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português

Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Age ou aje

A forma correta de escrita da palavra é age. A palavra aje está errada. Age é a forma conjugada do verbo agir na 3ª pessoa do singular do presente do indicativo ou na 2ª pessoa do singular do imperativo. O verbo agir se refere ao ato de atuar, de operar, de fazer alguma coisa, ou seja, de tomar uma providência, de exercer uma atividade, de produzir um efeito, de provocar uma reação, … Pode significar também o modo de proceder, de se comportar. 

Verbo agir – Presente do indicativo: 
(Eu) ajo 
(Tu) ages 
(Ele) age 
(Nós) agimos 
(Vós) agis 
(Eles) agem 

Verbo agir – Imperativo: 
(Eu) --- 
(Tu) age 
(Ele) aja 
(Nós) ajamos 
(Vós) agi 
(Eles) ajam 

Exemplos: 
É admirável, ele nunca age de cabeça quente. 
Age agora, faz alguma coisa! 

O verbo agir tem sua origem na palavra em latim agere, devendo assim ser escrito com g e não com j na sua forma infinitiva e na maioria das suas formas conjugadas. Há algumas formas conjugadas no presente do indicativo, no presente do subjuntivo e no imperativo que são escritas com j para manter a sonoridade. 

Exemplos de formas conjugadas com g: 
Pretérito perfeito do indicativo: eu agi, tu agiste, ele agiu,… 
Pretérito imperfeito do indicativo: eu agia, tu agias, ele agia,… 
Futuro do subjuntivo: quando eu agir, quando tu agires, quando ele agir,… 

Exemplos de formas conjugadas com j: 
Presente do indicativo: eu ajo
Presente do subjuntivo: que eu aja, que tu ajas, que ele aja,… 
Imperativo: aja ele, ajamos nós, ajam eles.

Em quanto ou enquanto

As duas hipóteses existem na língua portuguesa e estão corretas. Contudo, têm significados diferentes, devendo ser usadas em situações diferentes. A palavra enquanto significa, principalmente, durante o tempo que, ao mesmo tempo que, à medida que e na qualidade de. A sequência em quanto interroga, principalmente, a quantidade, o preço e a intensidade de alguma coisa.

Enquanto é uma conjunção temporal, proporcional ou conformativa que indica, principalmente, durante o tempo que, ao mesmo tempo que, à medida que e na qualidade de. Assim, é sinônima de durante, no mesmo momento em que, ao passo que, como, entre outras.

Exemplos:
Não posso sair enquanto meu bebê estiver dormindo. (durante o tempo que)
Enquanto você vai à padaria, eu vou ao açougue. (ao mesmo tempo que)
Enquanto alguns foram embora, outros vieram ocupar seus lugares. (à medida que)
Enquanto diretora da empresa, essa decisão ficará sob minha responsabilidade. (na qualidade de)

Em quanto é uma sequência formada pela preposição em e pelo pronome quanto, que pode ser indefinido, relativo ou interrogativo. Esta sequência interroga, principalmente, a quantidade, o preço e a intensidade, sendo sinônima de: que quantidade, que total, que preço, que valor, que intensidade, quão grande, entre outros.

Exemplos:
Em quanto tempo este bolo fica pronto? (em que quantidade de tempo)
A reparação do carro ficou em quanto? (em que valor)

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português

Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Afluente ou efluente

As palavras afluente e efluente existem na língua portuguesa e estão corretas. Contudo, seus significados são diferentes e devem ser usadas em situações diferentes. A palavra afluente pode ser um substantivo masculino, significando um rio que deságua em outro, ou um adjetivo, significando algo abundante ou que aflui em direção a outro. A palavra efluente pode também ser um substantivo masculino, se referindo ao resíduo que sai de um equipamento e de despejos e esgotos industriais e domésticos, ou um adjetivo, significando algo que eflui, que emana de algo. 

A palavra afluente tem sua origem na palavra em latim affluens, devendo assim ser escrita com a inicial. Também com a inicial deverão ser escritas as palavras cognatas de afluente, como afluir, afluência e afluxo. Enquanto substantivo, afluente é sinônimo de secundário e tributário. Enquanto adjetivo, afluente é sinônimo do abundante, profuso, copioso, farto e caudaloso, bem como de convergente, concorrente e confluente. 

Exemplo: 
O rio Negro é um afluente da margem esquerda do rio Amazonas. (substantivo) 

A palavra efluente tem sua origem na palavra em latim effluens, devendo assim ser escrita com e inicial. Também com e inicial deverão ser escritas as palavras cognatas de efluente, como efluir, efluência e efluxo. Enquanto substantivo, efluente é sinônimo de resíduo, rejeito, despejo e esgoto. Enquanto adjetivo, afluente é sinônimo de emanante. 

Exemplo: 
As empresas são obrigadas a proceder ao tratamento de seus efluentes. (substantivo) 

Enquanto adjetivos, afluente e efluente são adjetivos uniformes, ou seja, de dois gêneros, que apresentam sempre a mesma forma, quer no gênero feminino, quer no gênero masculino (o líquido afluente/a substância afluente; o líquido efluente/a substância efluente). Na língua portuguesa, os adjetivos terminados em –e são adjetivos uniformes: excelente, doce, triste, terrestre, leve, pobre, competente, entre outros. A palavra cedente pode ainda ser aplicada como um substantivo de dois gêneros: o cedente/a cedente. 

As palavras afluente e efluente são escritas de forma parecida e são pronunciadas de forma parecida, mas os seus significados são diferentes. A este tipo de palavras chamamos palavras parônimas. Na língua portuguesa, existem diversas palavras parônimas: afluente/efluente, ilidir/elidir, cumprimento/comprimento, eminente/iminente, esperto/experto, precedente/procedente, descrição/discrição, evasão/invasão, entre outras. 

Fique sabendo mais! 
Alguns dicionários consideram ainda que o substantivo masculino efluente significa um rio menor que corre a partir de um rio de maiores dimensões.

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português
Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Murmurinho ou burburinho

As duas palavras estão corretas e existem na língua portuguesa. Podemos utilizar os substantivos masculinos murmurinho e burburinho sempre que quisermos referir um murmúrio tênue, um sussurro, um ruído indiferenciado de várias pessoas falando ao mesmo tempo. Pode significar também qualquer outro ruído brando e constante, como o som da água em movimento ou o som do vento nas folhas das árvores. Embora ambas estejam corretas, a palavra burburinho é a mais utilizada pelos falantes. 

Murmurinho é uma palavra formada a partir de derivação sufixal, ou seja, é acrescentado um sufixo a uma palavra já existente. Neste caso, temos a palavra murmúrio mais o sufixo diminutivo – inho. A palavra murmúrio, por sua vez, tem sua origem no latim medieval murmuriu

A palavra burburinho poderá ser formada a partir da palavra murmurinho ou ter sua origem a partir de formação expressiva e imitativa, ou seja, a partir de uma linguagem oral, baseada nos sons causados pelo próprio ruído de várias pessoas falando ao mesmo tempo. 

Exemplos: 
Não consigo ouvir nada com todo este burburinho
Não consigo ouvir nada com todo este murmurinho

Adoro ouvir o burburinho do riacho correndo devagarinho. 
Adoro ouvir o murmurinho do riacho correndo devagarinho. 

Fique sabendo mais! 
Existem várias palavras sinônimas de murmurinho e burburinho, como murmurejo, bulício, sussurro e cicio.

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português

Se foi útil pra você compartilhe nas redes sociais! 

Trouxe ou trouce

A forma correta de escrita da palavra é trouxe. A palavra trouce está errada. Trouxe é a forma do verbo trazer conjugada na 1ª ou 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo. Trazer se refere, principalmente, ao ato de levar, transportar para perto de quem fala. Refere-se também ao ato de causar, ocasionar e originar, bem como o ato de conduzir, encaminhar, guiar. Significa ainda o ato de ter, usar, portar, bem como o ato de atrair, chamar, fazer vir. A dúvida surge porque o x no verbo trouxe deverá ser pronunciado com som de s.

Exemplos:
Ontem, minha prima trouxe um delicioso bolo de chocolate para sobremesa.
O Novo Acordo Ortográfico não trouxe qualquer alteração a esta regra.
Eu trouxe um casaco porque acho que vai esfriar.

O verbo trazer tem sua origem na palavra em latim trahere e é um verbo irregular, ou seja, não se encaixa nos modelos fixos de conjugação verbal, possuindo alterações nos radicais e nas terminações quando conjugado.

Pretérito perfeito do indicativo:
(Eu) trouxe
(Tu) trouxeste
(Ele) trouxe
(Nós) trouxemos
(Vós) trouxestes
(Eles) trouxeram

Outros tempos verbais do verbo trazer são também escritos com x:
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo: eu trouxera, tu trouxeras, ele trouxera,…
Pretérito imperfeito do subjuntivo: se eu trouxesse, se tu trouxesses, se ele trouxesse,…
Futuro do subjuntivo: quando eu trouxer, quando tu trouxeres, quando ele trouxer,…

Atenção!
Verificam-se erros frequentes na escrita e na pronúncia da palavra trouxe. Além do x ser pronunciado como s, o ditongo ou deverá ser bem pronunciado. A pronúncia truxe, que transforma o ditongo ou num u, está errada.

Compartilhe nas redes sociais 

Fonte: Dicio: Dicionário Online do Português

Muito ou muinto

A forma correta de escrita da palavra é muito. A pronúncia correta da palavra é muinto. A palavra muito se refere a uma grande quantidade de alguma coisa, bem como a alguma coisa feita com muita intensidade, quantidade e frequência. Caso único na língua portuguesa, a palavra muito é pronunciada com um fonema nasal, sem ter qualquer marca gráfica que represente a nasalidade do ditongo ui. Deve-se à assimilação do traço nasal do fonema m, havendo uma extensão desse traço de nasalidade. 

O fenômeno linguístico da assimilação da nasalidade de um fonema anterior ou posterior é frequente no português. Com exceção da palavra muito são considerados erros de ortoépia, ou seja, erro na correta articulação dos grupos vocálicos e dos fonemas consonantais, como é o caso da errada pronúncia de mendingo, em vez de mendigo. No caso da palavra muito, a pronúncia nasal está consagrada pelo uso, sendo a aceita pela norma culta. 

No português existem marcas gráficas que indicam que a vogal ou o ditongo devem ser nasalados, como a utilização do til (como em irmã) e a escrita das consoantes n e m a seguir à vogal ou ditongo nasal (como em ruim). Contudo, na palavra muito não se verificam quaisquer marcas gráficas que justifiquem a nasalização. Este fato ocorre porque a nasalização da palavra é posterior à estabilização da evolução gráfica da mesma. Rimas em poesias de documentos antigos comprovam que não se nasalava o ditongo ui, sendo lido como gratuito e suicídio. 

A palavra muito tem sua origem na palavra em latim multum, podendo ser um advérbio, um pronome indefinido ou um substantivo masculino. É sinônima de bastante, excessivo, desmedido, abundante, imenso, deveras, enorme, imensamente, excessivamente, frequentemente, extremamente, exageradamente, entre outros. 

Exemplos: 
Ele corre muito rápido! 
Estou cheia, comi muito
O diretor exige muito dos funcionários. 
Você já está muito perto de concretizar seus objetivos.

Fonte: Dicio: Dicionário Online da Língua Portuguesa.

Compartilhe nas redes sociais.

Artigo

Os artigos são palavras que antecedem os substantivos e têm por função indicar se o substantivo é determinado (artigos definidos: o, a, os, as) ou indeterminado (artigos indefinidos: um, uma, uns, umas).

Exemplos:

O presidente do grêmio estudantil.”
A cadela Kikita é de rua.”
Um cabo de enxada na cabeça do coitado.”
Uns grãos de café moídos.”
As mil faces de uma moeda chinesa.”

Informações complementares: 

Além de indicar a determinação ou indeterminação, os artigos indicam, também, o gênero (masculino ou feminino) e o número (singular ou plural) do substantivo.