Qual a diferença entre descriminar e discriminar?

O verbo transitivo direto descriminar (o mesmo que descriminalizar) significa isentar de culpa; tornar evidente a ausência de culpa ou contravenção; absolver.  Ele é formando pelo prefixo des- (que significa oposição, negação ou falta) + o verbo criminar (que significa imputar fato criminoso a alguém ou a si mesmo; acusar).

Exemplo: Alguns sociólogos são a favor de descriminar o uso das drogas.

Já o verbo discriminar significa perceber as diferenças; discernir, distinguir; colocar à parte por algum critério, especificar, classificar ou listar. Porém, a significação do ato de discriminar na sociedade tem uma concepção mais popular, a exclusão de grupos ou indivíduos por características étnicas, culturais, religiosas ou sexuais.

Exemplo: Para muitos, o projeto de “cura gay” discrimina radicalmente os homossexuais.

Por isso, enquanto o ato de descriminar quer dizer isentar de um crime, o ato de discriminar pode ser considerado um crime na atual legislação vigente do país. 


Substantivos epicenos

Há um grupo de substantivos, em Língua Portuguesa, chamados substantivos uniformes que conservam apenas uma forma _ daí a palavra uniforme _ para ambos os gêneros (masculino e feminino).

Esse grupo de substantivos subdivide-se em;

a) comuns de dois gêneros = possuem uma só forma para ambos os gêneros com artigos distintos.

b) epicenos = possuem uma só forma e um só artigo para ambos os gêneros de alguns espécies de animais. Neste caso o que definirá o gênero do animal é a colocação dos adjetivos macho ou fêmea logo depois do substantivo.

                  Exemplos de substantivos comuns de dois gêneros:

MASCULINO
FEMININO
o estudante
a estudante
o viajante
a viajante
o motorista
a motorista

      Lista dos substantivos epicenos mais comuns:


MASCULINO
FEMININO
a águia macho
a águia fêmea
a andorinha macho
a andorinha fêmea
a anta macho
a anta fêmea
a arara macho
a arara fêmea
a barata macho
a barata fêmea
a borboleta macho
a borboleta fêmea
a cobra macho
a cobra fêmea
a coruja macho
a coruja fêmea
a formiga macho
a formiga fêmea
a girafa macho
a girafa fêmea
a mosca macho
a mosca fêmea
a onça macho
a onça fêmea
a pantera macho
a pantera fêmea
o canguru macho
o canguru fêmea
o caranguejo macho
o caranguejo fêmea
o crocodilo macho
o crocodilo fêmea
o escorpião macho
o escorpião fêmea
o jacaré macho
o jacaré fêmea
o pernilongo macho
o pernilongo fêmea
o piolho macho
o piolho fêmea
o sabiá macho
o sabiá fêmea
o tatu macho
o tatu fêmea

O correto é Antártida, Antarctica ou antártica?


A palavra Antártida é empregada quando queremos nos referir ao contente gelado localizado no polo* sul. Por se tratar de um substantivo próprio, deve ser sempre escrita com letra inicial maiúscula, assim como Amazônia (floresta) ou Amazonas (estado brasileiro).


Já a palavra antártica é um adjetivo, ou seja, uma palavra usada para qualificar alguma coisa como oriunda ou pertencente à região da Antártida; portanto, deve ser ser sempre escrita com letra inicial minúscula. 

Há ainda a palavra Antarctica que nomeia uma famosa marca de cerveja brasileira. Esta,  assim como a palavra Antártida, por ser um substantivo próprio deve sempre se escrita com letra inicial maiúscula.

Curiosidade: 
Talvez a falta do acento agudo na palavra Antarctica (que àquela época já era obrigatório em palavras proparoxítonas) se deva a uma estratégia gramatical para “facilitar” a escrita do nome da cerveja e da companhia que a produzia.


*A palavra polo (pronuncia-se 'pólo') perdeu o acento com a reforma ortográfica